Venda de livros porta à porta e Comércio Eletrônico – Você sabia que eles podem ser aliados ?

Não é novidade que a cada dia as redes sociais ganham novos usuários e se tornam cada vez mais presentes, tornando o acesso as necessidades e desejos mais fácil e dinâmico. Em ritmo acelerado, o comércio eletrônico acompanha toda a ascensão tecnológica, facilitando a experiência de compra dos consumidores.

Concomitante a isto, existem as empresas que optam pela venda direta ou, popularmente conhecida como porta à porta. Esse tipo de venda ainda é bastante expressiva no mercado de livros. Segundo a ABDL (Associação Brasileira de Difusão do Livro) as empresas e os vendedores de porta à porta, em 2015, faturaram R$ 1.520.693.823,48.

Mas, o e-commerce não está distante da venda direta, vista como tradicional. O comércio eletrônico permite que o setor livreiro porta à porta opere por meio da internet, sem perder o seu principal conceito que é a venda por relacionamento.

Mas, como isso funciona ?

O vendedor poderá dispor apenas de um equipamento móvel, podendo ser tablet, notebook ou, até mesmo, o seu próprio celular. Com o auxílio do dispositivo ele terá em mãos todo o catálogo de livros por ele comercializados, evitando despesas com mostruário e/ou catálogos impressos, além de ampliar a oferta. A partir disso, a venda é realizada conforme a experiência do consultor, expondo o produto, suas características e etc.

Em sua loja virtual, algumas empresas possuem acesso individual para cada vendedor. Através do seu login personalizado, é possível ter maior controle sobre as vendas, verificação de comissões, histórico de pedidos, entre outras possibilidades.

São diversos os benefícios de realizar este tipo de operação, entre eles, destacamos dez:

1. Ampliação da oferta de produtos;

2. Presença online sem perder o conceito de venda direta;

3. Formas de pagamento: É possível oferecer maneiras flexíveis de pagamento, via cartão de crédito ou débito, boleto bancário e ainda, à vista em dinheiro;

4. Dispensa a distribuição de máquinas de cartão;

5. Inadimplência Zero: Visto as diversas formas de pagamento, a inadimplência torna-se inexistente pois o vendedor finaliza o atendimento com o pagamento já negociado;

6. Nota fiscal eletrônica: O cliente recebe a NF por e-mail, maior agilidade e menor desperdício de papel;

7. Menos burocracia e otimização da logística;

8. Maior controle sobre as vendas;

9. Redução de custos;

10. Concentração do catálogo de clientes;

O e-commerce tem evoluído constantemente e a previsão é otimista, sugerindo aumento contínuo dos números nos próximos anos. Não será diferente para o mercado porta à porta que, com o auxílio da web, poderá crescer de forma significativa.

Estamos vivendo um período de revolução digital e é necessário acompanhar as tendências na velocidade que elas acontecem.

Vale lembrar que quem não se adaptar acabará perdendo mercado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também

Mercado Pet e F1 Commerce: parceria ideal para o seu canal B2B

O mercado Pet é um dos segmentos mais resilientes às crises econômicas. Isso porque os animais de estimação já viraram membros da família e, claro, pelo fato de ser um setor que movimentou mais de US$ 145,8 bilhões em 2020. Mas, como a F1 Commerce pode ser a parceira ideal para o seu canal B2B? […]